O Ministério do Meio Ambiente e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lançaram no mês de fevereiro um projeto com o objetivo de recuperar áreas degradadas pelo processo de desertificação. As ações vão se estender por cinco dos nove estados do Nordeste, a começar pelo Maranhão, nas cidades de Berreirinhas, Tutoia, Mataões e Água Doce.

 

A desertificação, como o próprio nome sugere, acontece quando o solo de determinada região fica similar ao solo do deserto, reduzindo ou acabando totalmente com a vegetação na área acometida.

 

16% do território do Brasil, equivalente a 1,34 milhão de quilômetros quadrados estão propícios ao processo de desertificação. Toda essa área é o equivalente a quase 1500 municípios, atingindo quase 35 milhões de pessoas, segundo dados apresentados pelo Ministério do Meio Ambiente.

 

De acordo com Ala Bojanic, representante de FAO no Brasil, a realização deste tipo de projeto pode garantir a recuperação do solo. “É essencial recuperar e manter a terra hoje, para garantir comida para o futuro”, disse em entrevista à ONU Brasil.

 

O Ministério do Meio Ambiente terá como foco unir aspectos ambientais, sociais e produtivos no projeto. Vão ser instaladas Unidades de Recuperação de Área Degradada (URAD) para ações de remanejamento de recursos florestais, além do fortalecimento do banco de sementes florestais.

 

Fontes:

Sua Pesquisa

ONU Brasil

 

 

 

 

LABOREMUS

Av. Dep. Raimundo Asfora, 3400
Distrito Industrial do Velame
Campina Grande - PB, Brasil
icone-email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  
(83) 3335 3555 +55 
(83) 3335-3555

International sales:
icone-email  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
INNOVER